13.7.15

Viajar e alugar casa em vez de ficar num hotel

Vou tentar condensar neste texto a informação que precisam para alugar casas no AirBnb.

Na minha viagem a Paris optei por alugar uma casa. Desde o início de todo o planeamento estava mais do que decidida: Paris é uma cidade em que os hotéis são carotes e não éramos apenas os dois, pelo que valia ainda mais a pena alugar uma casa.

Há muitas cidades em que prefiro alugar uma casa em vez de me instalar num hotel, sobretudo no que toca a cidades europeias, e nisto, a invenção do AirBnb foi uma bênção. A primeira vez em que se opta por fazer isto, estranha-se, é uma novidade, mas depois não se quer outra coisa.

Adoro poder tomar o pequeno-almoço à minha maneira, ir ao supermercado dos locais, comer bem, sair por todo o dia, voltar estoirada, às vezes jantada outras vezes por jantar. Há dias em que o cansaço de percorrer as cidades a pé é tal que não compensa gastar o dinheiro em restaurantes apenas para comer, perde-se o gozo da refeição. Se estiver muito cansada, jantar por jantar, prefiro passar num supermercado, comer qualquer coisa em casa, cair na cama e deixar os restaurantes para outro dia.

Outra coisa espectacular, é que se pode combinar o check-in e o check-out mais cedo ou mais tarde, conforme as necessidades e os voos de chegada e partida. Pode não ser possível, pois podem estar outros hóspedes para chegar e a casa tem de ser limpa, mas até aqui tenho podido fazer late check-outs de todas as vezes.

A primeira vez que arrisquei alugar uma casa através do AirBnb foi numa viagem a Viena, em 2013. Os preços em relação aos hotéis eram bastante diferentes. Além disso, quando viajo eu quero um quarto com condições, com WC, tudo limpo e arejado, não preciso de luxos. Nas viagens só apareço em casa para dormir e saio cedo, não preciso de muito mais do que limpeza, localização e comodidade.


Há várias coisas que é preciso ter em conta quando se aluga casa através do AirBnb:

1. Ler os comentários das pessoas que já lá ficaram, são fiáveis.
2. Ler os comentários no caso de a pessoa que aluga a casa já ter ficado na casa de outras pessoas.
3. Ter a localização em atenção (estudar o mapa da cidade).
4. Ver a regra de cancelamento que pode ser flexível, moderada ou rígida (nunca se sabe se há imprevistos).
5. Ter o bairro em atenção. Geralmente não procuro zonas muito trendy, apenas bairros aceitáveis perto do centro, com muitos moradores e com estação de metro por perto. O metro é indispensável.
6. NUNCA, mas NUNCA, optar por outras vias de conversa fora do sistema de mensagens do AirBnb. O AirBnb tem um seguro, em caso de problemas eles estão lá. Se em algum momento a pessoa pedir para falar fora daquele sistema de mensagens, é fazer uma denúncia imediata, temos de ser uns para os outros.


VIENA


Fiquei nesta casa e a dona é a Belinda, uma simpatia. Na altura tinha duas filhas pequenas, loiras do mais branco que há e morava mesmo em frente a este apartamento. A Belinda deve fazer disto vida, pois tem mais de 100 comentários e outras casas para alugar em Viena, como se pode ver aqui. Ela foi sempre impecável, deu imensa informação, estava disponível para o que precisássemos, nunca ouvi barulho no apartamento ao lado, tudo impecável. Na rua há dois supermercados onde íamos fazer compras para o pequeno-almoço e transportes mesmo ao lado, eléctricos que passam a toda a hora (nunca vi transportes como em Viena, nem os de Londres!), que faziam uma rua comprida e nos levavam até uma estação de metro. Na verdade dava para ir a pé, seriam 10 minutos, mas como os eléctricos estão sempre a passar, poupávamos as pernas.

A casa não tem uma decoração com particular bom gosto, mas na verdade é melhor ao vivo do que nas fotografias. Decorações à parte, é impecavelmente limpa e é isso que se quer. A única coisa que teria a apontar seriam as almofadas que não gostei nada. Eram feitas de cubos de espuma, irregulares, foi a única parte má, mas também não foi um fim de mundo. Entretanto nem sei se as almofadas serão do mesmo recheio.

Esta casa ou outra casa com a Belinda é mesmo de recomendar, podem ir à confiança, o que até se compreende pelos comentários que lhe deixam.


MILÃO

A segunda vez que aluguei casa através do AirBnb foi em 2014, para Milão. Desta vez não correu tão bem. Procurei casa praticamente uns dias antes da partida, numa altura em que a feira de sapatos enche a cidade, em que sobram apenas hotéis caríssimos e casas no AirBnb a preço aceitável era difícil. Desconfiada, aluguei uma casa a um Enrico, muito simpático, recebeu-me no aeroporto, foi impecável, era mesmo um porreiro. O Enrico só tinha um defeito: era o gajo mais porco que existe, pelo que nem deixo aqui o link para a casa. 

Ao tocar na loiça nos armários, os pratos colavam aos dedos de gordura. Tive de lavar loiça para os dois e colocar à parte. Por outro lado via-se que se tinha esforçado para limpar a cozinha, mesa e bancadas em geral. A cama via-se que tinha sido feita de lavado, mas com lençóis que nunca passaram pelo ferro de engomar. A cabine de duche do WC era tão porca, tanto ranço, que acho que aquilo nunca viu um esfregão. De cada vez que o PAM tomava banho gritava do duche que ia apanhar fungos nas unhas dos pés. 

Enfim, não foi a melhor casa, mas também não morremos, deu para sobreviver. O Enrico era tão porreiro, deixou-me no AirBnb um comentário tão simpático que não tive coragem de deixar uma crítica negativa, optei por ser omissa e não deixar qualquer comentário, já lhe chegam alguns comentários que ele tem.

Este ano terei de voltar a Milão, já aluguei casa porque aprendi que a altura da feira tem o mundo inteiro do calçado na cidade. Vou prevenida. Desta vez aluguei uma casa com mesmo muito bom aspecto, logo farei as minhas recomendações, mas creio que desta vez vai correr muito bem.


NYC


A terceira vez que aluguei casa foi também em 2014, em NYC. Andava eu na procura de casa, fiz uns contactos, quando um gajo com muito bom aspecto pediu para falarmos no chat do FB, porque "era mais fácil". Estranhei, mas alinhei. Depois o gajo dizia que a casa estava disponível, que podia enviar o valor por Transfer Union e ficava logo reservada. Moral da história: não havia casa nenhuma, é um método para enganar as pessoas e extorquir dinheiro. Fiz queixa daquele gajo ao AirBnb e em menos de 24h responderam a agradecer, apagaram o anúncio dele e deram-me um vale de 75$USA para usar no meu próximo aluguer. Oh, que maravilha!

Existem alguns anúncios (encontrei para os de Paris também) que numa das fotos pedem para contactar por e-mail, com a desculpa que é só para ter a certeza que a casa está livre, blá, blá. Nem entro em contacto, faço logo a denúncia no botão para o efeito e umas horas depois os anúncios desaparecem. Aquilo funciona muito bem, estou uma profissional das denúncias.

Acabei por alugar esta casa em NY, uma casa espectacular! Na verdade, as fotos não fazem justiça à casa, não sei por que motivo ele não investe num fotógrafo como deve ser, teria muito a ganhar. O Rick era super educado, uma simpatia, deixou-nos chocolates e duas garrafas de vinho, uma carta cheia de informações, telefones e tudo o que precisássemos. Voltava a esta casa em NY num piscar de olhos, mas por algum motivo ela parece não estar disponível de momento para alugueres, tem a agenda fechada.

Adorei esta casa, voltava, mas não sei se a recomendaria para quem não conhece a cidade. Ou então, apenas não a recomendaria a pessoas pouco desembaraçadas. A casa não é em Manhattan (caro, caro), é em Hoboken, a 15 minutos de comboio/metro de Times Square e, por sua vez, a estação é a 10/15 minutos do prédio a pé ou com o shuttle da urbanização é um instante. Deixei toda a informação num comentário em Novembro de 2014, podem ler.


PARIS



E pronto, este último aluguer aconteceu em Paris, se forem quatro pessoas ou mais, esta casa vale mesmo a pena e o preço é óptimo! Eu estava em modo desespero em busca de uma casa há mais de uma semana, a ver a vida a andar para trás, quando aquele anúncio apareceu do nada. Estranhei, sem comentários, seria mais um embuste? Por outro lado, a casa tinha ar de ser nova, algum dia as pessoas precisam de começar. Falei com o William e basicamente tinha acabado de colocar a casa no AirBnb, nova, pronta a estrear. Arrisquei e a experiência foi óptima. O primeiro comentário é meu, têm lá a minha opinião.

A casa tem três andares (taaanto espaço!), é impecável para seis pessoas (duas camas de casal + duas camas de solteiro), a zona é segura, o metro fica a menos de cinco minutos a pé, padaria em frente ao portão da vila onde se insere a casa, supermercado na esquina, imensas mercearias com os legumes e a fruta mais bonita que se pode ver, boa localização com aquela estação de metro (Goncorte), foi perfeito.

Estava para alugar um loft em Paris, mas demorei a fazer a reserva e fiquei sem a casa, alguém alugou para as minhas datas. Mas o loft ficou-me atravessado, que casa tão gira! Talvez de uma próxima vez.

No próximo texto recomendo casa para Lisboa!



SHARE:
© A Maçã de Eva

This site uses cookies from Google to deliver its services - Click here for information.

Blogger Template Created by pipdig