31.1.16

Cancro da mama: assinem esta petição



A Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) lançou uma petição pública para levar à Assembleia da República, com o objectivo de discutir a falta de igualdade que actualmente existe no acesso ao rastreio e tratamento do cancro da mama.

Em Portugal, todos os dias surgem 16 casos por dia, são cerca de seis mil casos de cancro da mama por ano. 

Conheço uma série de mulheres que sofreram de cancro da mama, não são assim tão poucas. Nunca conheci uma das minhas avós, vítima de cancro da mama. A minha mãe, as minhas tias, eu e as minhas irmãs, somos seguidas com muita atenção e até se fez o despiste do gene hereditário, que não tenho. 

Não pensem que esta é uma realidade que acontece a pouca gente ou apenas aos outros, longe de nós.

Esta petição pretende garantir que o programa de rastreio do cancro da mama chegue a todas as regiões do país e que, em caso de suspeita, exista um serviço hospitalar capaz de dar resposta e acesso aos melhores tratamentos da União Europeia. 

Por todas e todos (os homens não estão excluídos nesta temática), é nossa obrigação assinar esta petição

Mais informação sobre a detecção do cancro da mama, aqui.



SHARE:

28.1.16

Just saying #6



SHARE:

27.1.16

Breves do Brasil #1

Português de Portugal é uma coisa, português brasileiro é outra.

Indo ao Brasil não esperamos encontrar barreiras linguísticas, mas a verdade é que muitas vezes não nos percebem. Não se surpreendam se perguntarem "são franceses?" Que raio de pergunta, mas acontece com frequência ao ponto de eu me perguntar se nós apenas compreendemos bem a versão brasileira do português por termos sido educados ao ritmo da Globo.

Ainda assim, para nos compreenderem, desempenhamos um papel de novela e o melhor mesmo é falar brasileiro, sem vergonha.

Entramos numa lanchonete, ele pede uma coxinha à menina do balcão:

- Pode aquecer p'ra mim?
- Oi?
- Aquecer um pouco?
- Esquentar! 

Tantos anos de novela e afinal não aprendemos nada!
SHARE:

I love home style #6






  


  Se alguma vez parecer que sonho com casas alheias, não é coincidência, é realidade.
E não precisam ser palacetes. Sonho com casas cheias de arrumação, nichos e armários improváveis, quase nada à vista desarmada e tudo bem arrumado onde ninguém diria que se esconde arrumação.


SHARE:

Gostei e comprei #32




Este top branco foi uma grande compra de saldos. Tem um algodão macio, suave e leve, perfeito para dias de calor!
SHARE:

26.1.16

Um dia mato este gajo #58


Se estiverem por terras de Vera Cruz, no café da manhã não se lembrem de se alambazarem a um café expresso brasileiro junto com suco de goiaba e gigantescas fatias de mamão. 

Só naquela... é um aviso.

Olhei para o homem à minha frente e disse: "despacha-te!" que, em vez de cumprir a ordem, começou a gozar-me. Perante o meu rosto homicida, acabou por achar que era melhor deglutir o pequeno-almoço e despachar-se.




Voei para os elevadores que estavam em manutenção.

E eu à espera. Ainda olhei para as escadas, mas eram 25 andares. Ele perguntou trocista: "queres subir? Aahahahah!".

Não teve piada.

Chegou finalmente, entrei num elevador com suspiros de "despacha-te, máquina!". O elevador enorme, cheio de pessoas de todas as nacionalidades.

O elevador a subir e o homem começa a cantar para mim.
A cantar-me o Final Countdown dos Europe.


Eu não aguento as vergonhas que ele me faz passar!


SHARE:

Batata doce no forno



Os meus leitores são pessoas que não podem ver comida, querem todas as minhas receitas!

Nunca consumo batatas normais em casa, apenas batata doce. Geralmente é cozida para despachar (em água e sal com uns ramos de alecrim fica óptimo!), mas desta vez decidi fazer as alegrias ao homem que queria batata doce no forno.

Foi a primeira vez e como tal, inventei. Mas saiu muito bem! Esta é daquelas receitas que qualquer pessoa pode fazer, mesmo as que não sabem cozinhar, e fazer um brilharete.
SHARE:

25.1.16

Don't cry for me!




Não fiquem triste, estou longe mas feliz!
Podem seguir-me com fotografias de mais uma viagem no FB ou no Instagram

Levo uma caipifruta a quem pedir (com modos)! 


SHARE:

I love style #9



Este é um estilo que nunca passa de moda 


SHARE:

23.1.16

Hambúrgueres da Teresa



A Teresa era de Cabo Verde e cozinhava em casa de uma das minhas tias. Não faço ideia onde andará. Ela achava que os hambúrgueres que os portugueses cozinhavam era a coisa mais desenxabida do mundo e decidiu cozinhar, para mim e para os meus primos, uma coisa que ela achava como deve ser. 

Isto deve ter sido há 20 anos, mas nunca esqueci e fui adaptando a receita.

250 gr peito de frango picado 
250 gr de carne de vaca picada
1 ovo
1 ramo de salsa
dentes de alho
sal
pimenta

Não compro, recuso-me, não consumo carne picada embalada. Faz toda a diferença comprar a carne em talhos de bairro, limpa de ossos, nervos e gorduras à vossa frente e picada também à vossa frente.
SHARE:

21.1.16

I love home style #5







A casa de Gisele Bundchen e do marido Tom Brady, em NYC.

Eu não conseguia viver sem uma cozinha como deve ser.
Kitchenette não dá para mim! Já a vista...


SHARE:

20.1.16

Descontos extras para leitoras do blogue!


A colecção AW2015/16 da ROS LISBON está quase no fim de stock 
e por isso tenho para dar aos leitores de blogue

10% de desconto extra 
e acumulável às promoções

Basta usar o código EXTRA10OFF no check out em toda a última colecção.
Encomendas AQUI

 




SHARE:

19.1.16

Gostei e comprei #31



 Camisa ZARA, refª 4479/245/800


Esta camisa foi uma excelente compra de saldos que não podia deixar de recomendar! O algodão é super macio, fica muito bem vestida, conforto espectacular e gosto mesmo de a vestir. Com uns simples jeans, fica o look feito, não precisa de grandes adereços.

Não encontro a camisa no site, mas ainda há dias a vi em loja. Com as promoções custou cerca de 12€ ou 15€, foi uma compra que valeu mesmo a pena. Se ajudar a alguém, comprei um tamanho S.


SHARE:

Celestial e transcendente


A primeira vez que ouvi falar deste pão-de-ló foi na primeira vez que fui ao restaurante BOOK (que adoro, adoro!), no Porto, experiências que descrevi aqui e aqui.

Quem não é fã de um pão-de-ló bem português cheio de doce de ovos? O PAM não era. Mas só até provar este, o melhor do universo.

Os pães-de-ló de Ovar, Alfeizerão, da Ti'Piedade, da Padaria Portuguesa, são bons, claro que sim. Mas em todos o que gostamos é do centro, na parte do rebordo ficamos a desejar mais ló ao ritmo de uma torneira. São bons, claro que sim, isso não está em questão. Mas depois, a primeira vez que este pão-de-ló aterrar numa mesa, um novo mundo de doce de ovos se abrirá na vossa frente e imediatamente listam um preferido que não mais largará a vossa memória.

Naquela altura que fui ao BOOK, a carta do restaurante falava do "melhor pão de ló do Universo". Era uma clara piada ao "melhor bolo de chocolate do mundo" (que também é bom, no entanto acho o meu melhor). Era uma piada saudável, mas só se podem dar a este tipo de graças aqueles que acreditam realmente no que estão a dizer, senão não tem piada e é só um turn off.

Explicando de outra forma, o PAM não come doces. É raríssimo, não liga, pode passar por uma mesa cheia de bolos sem olhar. No restaurante, as minhas papilas pareciam fogo de artifício enquanto eu implorava que provasse a sobremesa. Provou a pedido e tudo mudou. Não é um pão-de-ló qualquer, é uma massa leve, esponjosa, um bolo carregado de ló até à última fatia. Não tem ló apenas no centro, tem em todo o lado, é uma piscina de ló até aos cantos. Ali não há medo de gastar ovos.

Mais tarde, muito depois desse restaurante, descobri um pão-de-ló semelhante noutro restaurante e tive de chamar o empregado. Eu conhecia aquele bolo! Perguntei e obtive a resposta que já adivinhava, era o tal, o "melhor do universo", que tem vindo a espalhar-de pela restauração fora.

A obsessão tornou-se de tal forma doentia que quando estamos no norte vamos ao restaurante que tem esta sobremesa. Da última vez correu mal, já tinha acabado, mas teriam à noite. Voltei à noite para jantar e afinal não tinha chegado, fiquei doente! Portanto, tenho agora o telefone de uma das empregadas de mesa para saber se têm o pão-de-ló e não fazer viagens em vão pelo Porto.

A história de quem fez deste bolo um negócio não é muito diferente da minha no que respeita à surpresa de paladar. Algures em 2010, José Miguel Júdice, homem de negócios, entrou num restaurante em Matosinhos, calhou de pedir esta sobremesa e à primeira colherada, ficou rendido. De tal maneira que contactou os fabricantes (na altura com um pequeno negócio), propôs uma parceria de exclusividade com o grupo Lágrimas Hotels & Emotions que foi aceite, mudou-lhe o nome (com justiça) e assim nasceu o melhor. O do universo.

No site encontram quatro pontos onde podem comprar este bolo, de norte a sul, no Porto, Coimbra, Lisboa e Faro.

Quando o homem fez anos, eu tinha de lhe fazer a surpresa. Fiz a encomenda com dois dias de antecedência, na data fui buscar ao Hotel da Estrela em Lisboa e quando cheguei a casa foi vê-lo aos pulos.

Já arrastámos amigos nesta doença e estão tão agarrados quanto nós. No dia do aniversário enviámos uma fotografia via telemóvel e fomos altamente insultados pelos invejosos.

Foi a primeira vez que comprei um bolo. Nunca, nunca, em momento algum comprei bolos de anos, sempre os cozinhei. Esta é a única excepção que abro para a compra de um bolo. Não é uma pechincha, mas também não há nada que se lhe compare no que toca a um pão-de-ló.

Eu dava um dedo por esta receita!




SHARE:

18.1.16

Mais fotografias!


Estamos a somar magnets ao frigorífico!

Ofereci o primeiro puzzle de fotos no último verão, por altura do nosso aniversário. O verão passou, cheio de fotografias, e agora pelo aniversário do homem achei que tinha de acrescentar mais uns momentos ao frigorífico. E assim há-de continuar uma ou duas vezes por ano, acredito, ao ritmo que nascem novas fotografias.

Descobri a Sticky9 no Instagram e logo me apaixonei pela ideia de ter as nossas fotografias em pequenos quadradinhos.
SHARE:

I love home style #4



Fantástico aproveitamento de espaço.


SHARE:

15.1.16

Desejo de consumo #5


Eu quero, eu quero!

Uma prima enviou-me esta imagem avisando que não era para o meu iPhone, mas que tinha a minha cara. 
E tem mesmo, eu quero!

Onde se encontrará à venda? Já corri a internet.


SHARE:

14.1.16

Caril de frango e maçã




Uma leitora pediu a minha receita especial de caril de frango com maçã, o que compreendo. É mesmo incrivelmente bom e simples de fazer. Sobretudo para receber convidados em casa, é uma receita espectacular.

Estas quantidades que apresento na receita é o que costumo fazer em casa para sobrar e até congelar. Se é daquelas pessoas que gosta de congelar porções e ir tirando do congelador para não estar sempre a cozinhar, esta receita é óptima.

SHARE:

13.1.16

Gostei e comprei #30


Calções, ZARA, aqui
Camisola, ZARA, aqui
Botas pretas ALICE, ROS LISBON, aqui

SHARE:

12.1.16

Gostei e comprei #29



Já tenho o meu bolero há que tempos, há um ano, altura destas fotografias.

Mas eis que o bolero se encontra na MANGO OUTLET e a um very nice price, aqui!




SHARE:

11.1.16

Golden Globes 2016 - my favorites



JLo em Giambista Valli

Adorei, adorei! A cor, o vestido, os acessórios, tudo!
Quem sabe a moça nos passa a prendar com modelos mais tapados que na verdade são mais elegantes do que os transparentes.



Alicia Vikander em Louis Vuitton

Só por ser branco já tinha um lugar no meu coração, mas depois o plissado e aqueles folhinhos fazem uma mulher como eu querer ter um vestido igual. Mas eu queria mesmo, não é força de expressão.



Heidi Klum em Marchesa

Adoro este vestido e até já o tinha sugerido neste post. Mas infelizmente quer parecer-me que multiplica a anca e só fica mesmo bem a magras de pele e osso.


SHARE:

10.1.16

I love home style #3



Estou obcecada por estas escadas!


SHARE:

8.1.16

Desejo de consumo #4



Não faço ideia de onde é este casaco verde, mas gosto tanto, tanto!
É o perfeito desenjoo para quando se querem usar peças pretas.

SHARE:

7.1.16

Cheesecake de frutos silvestres e chocolate branco




Há dias publiquei a imagem de um cheesecake de frutos silvestres e chocolate branco.
Aqui fica a devida receita!

Base:
1 pacote e meio de bolachas Maria
3 colheres de margarina

Recheio:
2 embalagens de mascarpone (250 gr. cada)
1 pacote de natas (200 ml.)
7 colheres de sopa de açúcar para o recheio
400 gr. de frutos silvestres congelados
2 colheres de sopa de açúcar para o coulis 
1 tablete de chocolate branco Continente
2 saquetas de gelatina em pó Royal


1. Picar a bolacha com a margarina. Forrar o fundo de uma forma de mola bem direitinho, levar ao forno 10 min. para secar, tirar do forno e deixar arrefecer.

2. Colocar os frutos silvestres numa frigideira com meio copo de água e duas colheres de açúcar. Deixar cozinhar durante cerca de 5 min. sem desfazer muito os frutos e até descongelarem por completo. O coulis deve ficar brilhante e bonitinho.

3. Bater as natas com o açúcar. Quando estiverem firmes, acrescentar o mascarpone.

4. Derreter a tablete de chocolate branco num pirex no microondas e acrescentar ao preparado anterior.

5. Bater a gelatina em pó neste preparado.

6. Acrescentar a mistela dos frutos silvestres sem mexer muito para que os frutos fiquem inteiros e o cheesecake ganhe um tom marmoreado, em vez de uniforme.

7. Levar ao frigorífico até ao dia seguinte.


Ralar chocolate branco por cima do cheesecake antes de servir!


SHARE:

6.1.16

You tell me





Como em todas as marcas, há modelos que batem na trave. Porque o preço de custo é alto, porque não resulta como se imaginava (e se desiste), ou simplesmente porque se estabelece que de entre vários modelos apenas uma parte vai sair e alguns ficam para trás, que foi o caso deste.

Já nem me lembrava que tinha este protótipo quando esta semana abri a caixa e o voltei a ver. Poderia ter sido um modelo deste inverno, mas pela amostra que fui consultando, no meio de outros este nem sempre foi o mais votado, ficando para trás.

SHARE:

5.1.16

I love style #8




SHARE:

2.1.16

Foi mais um aniversário!



Não sei o que este aniversário teve de diferente, o mundo lembrou-se de mim. Os telefones tocaram, tocaram e tocaram. Senti-me mesmo querida junto da família, amigos e também no blogue. Li cada uma, mesmo uma a uma, das vossas mensagens. Obrigada! É bom ter-vos desse lado.

Recebi mensagens vindas de várias cidades deste país à beira-mar plantado, de Londres, de Bruxelas, da Colômbia, do Nevada, da Califórnia, do Dubai e até do Paquistão. Que espectáculo que foi! Eu não ligo a fazer anos, mas desta vez, do mundo inteiro, foi giro de ver e sentir.

E como foi giro receber um aviso de madrugada, "recebeu um ficheiro áudio", já eu estava na cama. Dos meus primos podia vir qualquer coisa, até um concerto de arrotos. Cliquei para ouvir, não faço ideia onde estavam, mas lá que faziam a festa na minha ausência, isso faziam! Até se me deu uma pluviosidade nos olhos, mas era um pó qualquer no ar. Quem tem primos assim, tem tudo! 

Xuxus, obrigada pelas vossas mensagens e comentários. Votos de um 2016 de arromba!


video


SHARE:
© A Maçã de Eva

This site uses cookies from Google to deliver its services - Click here for information.

Blogger Template Created by pipdig